Blog

Quanto mede um microvazamento? Quando é correto usar tapa fugas?

Assista ao vídeo antes de ler a matéria.

Deivi Homem é um dos mais reconhecidos, sérios e atuantes profissionais técnicos no mercado brasileiro. Uma referência para a K11.
(Instagram: @deivi_homem, Youtube : HVAC Tools e Grupo de Refrigeração no Facebook: HVAC Tools)
Deivi, destaca dois pontos principais, “como identificar” um microvazamento, e “quando usar” o TAPA FUGAS.
Não será possível esgotar o tema “vazamentos e soluções” num único artigo, outros serão necessários.

Quanto mede um microvazamento?
Muito difícil responder objetivamente esta pergunta. Nada simples.
Determinar o tipo de perda, seja micro, pequeno, médio ou grande, de fluido refrigerante num sistema não é tarefa fácil, assim como a sua localização.
Não há, no mundo, estudos de engenharia no segmento da refrigeração e climatização, que responda esta pergunta de forma direta e objetiva, principalmente considerando a realidade que encontramos em campo, onde muitas vezes são exigidas respostas e soluções rápidas condicionadas pela necessidade de uso do sistema pelo seu usuário, gestor ou proprietário.
Em muitos casos a decisão do usuário é “completar o fluido de tempos em tempos”, o que é lamentável, para dizer o mínimo. De outro lado, este procedimento pode ser útil para caracterizar o tipo de vazamento pela perda que terá ao longo de um determinado tempo.

Mas então, como saber se é um microvazamento?
E, quando o TAPA FUGAS será a solução ideal?
Ponderando o nível de “perda de fluido refrigerante versus o tempo da perda” é uma resposta direta. Mas não é a única.
Boas Práticas indica a realização de “teste de estanqueidade”, sempre em conformidade com definição do fabricante, é um procedimento básico.
A K11 recomenda para “pequenos e médios sistemas” que a perda em 48 horas não supere 30PSI* da pressurização com nitrogênio.
Para sistemas maiores é manter as indicações dos fabricantes e ponderar as perdas de pressão. O mercado tem equipamentos com quantidades muito variadas de carga de fluido, variam de poucas gramas e superam os 100 quilos de fluido refrigerante.
Cada caso é um caso. O Manual do Sistema será indispensável, sempre.
Nota: * Até 30PSI em 48 horas é fruto de dezenas testes realizados pela K11 junto com fabricantes que homologaram o TAPA FUGAS K11 em seus procedimentos de assistência técnica.
A outra forma para o diagnóstico é pelo “comportamento do sistema num período entre 60 e 120 dias”, se a perda for pequena em relação ao total da carga, a perda pode ser classificada como microvazamento.

Sistema com Contraste Fluorescente por luz UV Spectroline

Sistema com Contraste Fluorescente por luz UV Spectroline. Saiba mais

 

Estas formas passam por duas situações determinantes, são elas:
a) o “técnico conhece” o sistema ou o histórico preciso de operação e manutenção;
b) o “técnico não conhece” o sistema e histórico de operação e manutenção.

O caso relatado pelo Deivi é a comprovação de forma direta que “a experiência do técnico e o conhecimento do comportamento do sistema são absolutamente fundamentais para decisões corretas e seguras”.
Deivi sabia que a perda foi pequena ao longo de 90 dias em relação a carga total e, também pela perde de eficiência do sistema para atingir a temperatura necessária.
Resultado: 100% na solução do problema com o selante TAPA FUGAS, nesse caso foi a solução ideal, mais prática se absolutamente segura por ser um TAPA FUGAS, sem polímeros, Certificado ASHRAE 97, que tem credibilidade incontestável no mundo inteiro. .
Veja matéria detalhada sobre POLÍMEROS.

Concluindo: Conhecimento, experiência e bom senso.

  • Se o técnico não conhece o equipamento terá procedimentos mais longos pela falta do histórico de operação e manutenção, e para maior segurança na identificação da dimensão da perda e para a decisão da solução ideal.
  • Se o técnico conhece o comportamento e histórico de operação e manutenção ele terá procedimentos mais ágeis, sem perder margem de segurança, por saber que se trata de uma pequena perda – ou não, como relatou o Deivi.

Como vemos não é tão simples, mas com bom senso, histórico de operação e manutenção do sistema, seguir indicações dos fabricantes e as normas de Boas Práticas irão compor um diagnóstico mais seguro e a recomendação da solução mais eficaz para o caso.

 

VEJA TAMBÉM:

Tapa fugas pode estragar o sistema? E as ferramentas digitais? - BLOG K11

Video sobre TAPA FUGAS K11 por Rogério da CACIQUE REFRIGERAÇÂO - Instagram

Vazamentos em Sistemas de Refrigeração Comerciais: Principais pontos de fuga e Como Resolver - BLOG K11

CONTRASTE FLUORESCENTE SPECTROLINE é Certificado para uso em áreas de processamento de alimentos! - BLOG K11

Quem é a Sociedade Americana de Engenheiros de Aquecimento, Refrigeração e Ar-Condicionado (ASHRAE)? - BLOG K11

K11 Nylog: Conheça o Selante para Flanges e Borracha de Vedação e Rosca - BLOG K11