Blog

Verão intenso faz os brasileiros sofrerem com o calor no transporte público

Já era difícil enfrentar ônibus no Brasil. Imagina agora neste verão? Imagina sem ar condicionado? Imagina no horário de pico?
E aí… Conseguiu imaginar o sufoco?

Já se sentiu pegando fogo? Pois olha só: o tempo todo nós estamos emitindo calor. A energia que nós liberamos pra fora do nosso corpo equivale a uma lâmpada incandescente de 100 kilowats. Lembra daquelas lâmpadas mais antigas, que só ao encostar queimava a mão? Pois é… Agora imagine várias pessoas fechadas dentro de um ônibus, cada uma mandando pra todos os lados o calor do próprio corpo igual a uma lâmpada dessas?

“Uma vez que a temperatura suba fica mais difícil o nosso corpo eliminar o calor então vai gerando um problema, um efeito, que é um efeito tipo cascata. O ambiente esquenta a temperatura interna aumenta e você tem mais, e mais dificuldade de eliminar esse calor então vai tentando a sensação de sauna.” Disse Adriano Mesquita Alencar – Professor de física/ USP.

Na cidade de São Paulo, só 31% dos ônibus tem ar condicionado. Sofrem 6 milhões de passageiros que dependem desse tipo de transporte pra se locomover. Em média, toda essa gente costuma ficar 2h e 43 minutos dentro do transporte público, e isso diariamente. Já pensou?

No Rio de Janeiro, 35% dos ônibus da cidade não tem ar condicionado, e entre as maiores cidades do Brasil a situação pode ser ainda pior. Em Brasília, apenas 10% da frota tem ar, e em Salvador a cada 100 ônibus, só 1 roda com esse conforto. Em condições tão críticas, uma regra fundamental, roupa clara.

Por isso, atenção com a saúde. “Um dos primeiros sintomas que nós temos quando nós estamos ficando desidratados é a sensação de sede, a pele ressecada, as mucosas mais irritadas, diminuição da vontade de urinar, esse são sintomas de que você já está entrando num processo de desidratação.” Disse Patrícia Oliveira – médica fisiologista.

Complementa Patrícia Oliveira – Médica Fisiologista “O sangue fica mais grosso, aumentando a facilidade em formar coágulos e com isso aumentam o risco de tromboses, AVCS e infartos.”

Metodologistas dizem que tudo indica que esse janeiro entrará para o time dos mais quentes na capital paulista desde dos anos 2000. O Rio de Janeiro, também deve continuar sendo a cidade maravilhosamente quente, já que temos um Sistema de Alta Pressão, impedindo que as frentes frias avancem pro Sudeste e aliviem o calor que está fazendo.

Para aliviar o sofrimento se hidrate bem, bebendo bastante água e passando protetor solar. Previna-se da desidratação, e enfrente o calor com mais ânimo.