Blog

Mercado de ar condicionado se recupera e volta a crescer

Relatório aponta que o segmento de splits hi-wall se beneficiou das altas temperaturas em algumas regiões e do investimento de consumidores em suas residências durante a pandemia.

A última atualização semestral da consultoria britânica BSRIA sobre tendências para os principais mercados de ar condicionado em todo o mundo mostra que 2021 está sendo um ano de recuperação e crescimento, à medida que o mundo começa a emergir da pandemia do novo coronavírus.

O relatório aponta que o segmento de splits hi-wall se beneficiou das altas temperaturas em algumas regiões e do investimento de consumidores em suas residências, uma vez que as pessoas, quando podem, continuam trabalhando, de forma total ou parcial, em casa.

O setor de data center também está se fortalecendo, em decorrência de compras online e atividades de construção, turismo e investimentos públicos, revela o documento.

Embora muitos revendedores na China tenham estocado produtos antes de aumentar os preços, as medidas restritivas do governo contra a covid-19 paralisaram as atividades comerciais.

No primeiro semestre de 2021, o desempenho do mercado de ar condicionado comercial leve, como dutos, cassetes e unidades piso-teto de alta capacidade, parece ter permanecido lento. As vendas na Índia no primeiro trimestre de 2021 foram promissoras, mas a BSRIA relata que a segunda onda da pandemia veio no pior momento possível para o mercado de splits (meados de abril) e durou o suficiente para atingir as vendas.

A China está prestes a implementar atualizações de eficiência energética a partir de janeiro de 2022, mas a BSRIA diz que ainda não está certo se a vigência dos novos padrões será adiada, a fim de dar mais tempo para os produtores locais se ajustarem.

Também há relatos de alguns atrasos em muitos projetos em andamento que mantiveram o mercado de chillers parcialmente parado.

No Oriente Médio, a Arábia Saudita implementou padrões mais rígidos de economia de energia para combater o rápido crescimento da demanda por eletricidade.

Nos Emirados Árabes Unidos, o custo das matérias-primas, impostos alfandegários e custos de frete aumentaram significativamente, resultando em um aumento de preço de cerca de 5% a 10% em todos os produtos de ar condicionado. 

Na Europa, a indústria registrou vendas positivas de splits hi-wall residenciais no primeiro semestre de 2021. Alemanha e França registraram crescimento de dois dígitos nesse segmento, enquanto o mercado de chillers na Itália está mostrando fortes sinais de recuperação. No entanto, na Turquia, a queda dramática da indústria da construção gerou grande impacto no mercado de plantas centrais.

O mercado de hi-wall também registrou expansão de dois dígitos no primeiro semestre do ano na Austrália.

Nos EUA, o aumento inesperado na demanda por splits encontrou um cenário de oferta cada vez menor. A escassez global de chips e semicondutores e um aumento geral do tempo de espera para a maioria dos componentes criaram gargalos na cadeia de suprimentos.

No México, com a maioria dos grandes projetos suspensos ou atrasados, a maior parte do crescimento do mercado de chillers se deu em razão dos projetos com equipamentos de médio porte.

No Brasil, apesar da crise econômica relacionada à pandemia, a indústria de ventilação e ar condicionado vem conseguindo se manter à tona. O mini VRF modular é, atualmente, um dos modelos preferidos no País, onde os fabricantes de chillers esperam um crescimento sustentável e rentável das vendas neste ano.

Reprodução integral de matéria da Revista do Frio Outubro/2021 - pág. 26

Compartilhe: